Seguidores

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Feijoada teve origem no século XIX com base em cozido feito por portugueses

Reações: 
2 comentários: Links para esta postagem
Feijoada teve origem no século XIX com base em cozido feito por portugueses



Giovana Sanchez

Do G1, em São Paulo



Ideia de que a refeição foi criada por escravos não é verdadeira.
Costume de comer às quartas e sábados pode ter vindo de hotéis cariocas.


"Mulher / Você vai fritar / Um montão de torresmo pra acompanhar / Arroz branco, farofa e a malagueta / A laranja-bahia ou da seleta / Joga o paio, carne seca, toucinho no caldeirão / E vamos botar água no feijão."

A letra da música "Feijoada Completa", de Chico Buarque de Holanda, dá a receita de um dos pratos mais típicos do país: a mistura de feijão preto, pedaços de carne de porco, arroz, couve e farofa.

A feijoada apareceu por volta do fim do século XIX e logo ganhou a mesa de boa parte da população brasileira, adquirindo depois diversas versões, em diferentes regiões do país. O leitor já deve ter ouvido a história de que sua origem vem dos escravos, que misturavam os restos das carnes dadas pelos senhores com a farofa.

No entanto, os registros históricos contam outra versão. "O mito modernista é de que os escravos foram uma fonte importante da culinária brasileira. Tenho minhas dúvidas pois onde não há liberdade não há desenvolvimento culinário. Eles comiam uma ração, determinada pelos senhores, cujo traço fundamental era ser barato", explicou ao G1 Carlos Alberto Dória, doutor em sociologia e ator de "Formação da Culinária Brasileira", entre outros.

A mais provável origem do prato é o cozido europeu, que já fazia a mistura de tipos de carnes. Os portugueses reproduziram a receita usando o feijão preto, que era uma base importante da alimentação no Brasil da época. "A tradição europeia do cozido foi provavelmente adaptada, criando a feijoada, que passou a ser servida para camadas mais gerais da população", explica o professor da USP e especialista em históra da alimentação Henrique Carneiro.

"O que chamamos ‘feijoada’ é uma solução europeia elaborada no Brasil. [...] A feijoada, simples ou completa, é o primeiro prato brasileiro em geral", escreveu Câmara Cascudo no livro "História da alimentação no Brasil".

Então, por que se ouve tanto a história de que a feijoada foi criada por escravos? Dória responde que "a simbologia é de um prato miscigenado, como se a nosa culínária fosse fruto de 'contribuições' de índios, negros e brancos. O papel desse mito é apagar da nossa memória de nação as relações de dominação que presidiram o conjunto: o branco senhor, o negro escravo, o índio massacrado. Na feijoada, se esquece tudo isso, não é?"

E o costume de comer o prato todas as quartas-feiras e sábados? "Provavelmente foi um hábito firmado pelos hotéis cariocas, que tiveram uma demanda popular que acabou fixando o prato no cardápio semanal", explica o especialista Dória.

Veja os ingredientes para uma boa feijoada:

-1/2kg de feijão preto
-300g de carne seca
-200g de bacon
-300g de joelho
-300g de pé de porco
-3 linguiças calabresas
-300g de costela
-300g de lombo
-300 de rabo de porco
-2 cabeças de alho
-2 cebolas médias
-2 folhas de louro
-1/2kg de arroz
-1/2kg de farinha de mesa crua
-1/2kg de fubá
-2 molhos de couve
-óleo
-azeite
-sal
-margarina
-laranjas




Fonte:

http://g1.globo.com/Sites/Especiais/Noticias/0,,MUL1197792-16107,00-FEIJOADA+TEVE+ORIGEM+NO+SECULO+XIX+COM+BASE+EM+COZIDO+FEITO+POR+PORTUGUESES.html

Diário de Emoções

Reações: 
Nenhum comentário: Links para esta postagem

Diário de Emoções
::
Rosemeire Zago ::

Quantas vezes você sentiu angústia, uma dor no peito incontrolável, uma vontade imensa de colocar para fora o que sentia, com a nítida sensação que se não falasse iria explodir e percebeu que não havia ninguém com quem falar? Ou ainda, quantas vezes desabafou com alguém que confiava e depois tudo aquilo que foi confidenciado tornou-se alvo de fofocas ou comentários maldosos?

Já percebeu as infinitas vezes que procurou alguém para falar o que estava sentindo e era só parar para respirar, o outro logo vinha contando a própria história, deixando-o com a sensação de que não foi ouvido? E naquele momento você precisava apenas de alguém com sensibilidade para que o ouvisse com atenção para aliviar sua dor.
A experiência do outro pode até ajudar, mas o que acontece mesmo é que todos estão tão ansiosos para falar, que nem percebem o momento que devem calar e permitir que quem os procurou tenham apenas um ombro para chorar. A última coisa que você queria era ouvir mais problemas, já que naquele momento estava difícil suportar os seus, não é mesmo?
E você desejando apenas alguém que o ouvisse, teve que suportar julgamentos, críticas e opiniões, que sequer havia pedido. Parece que o fato de falar dá ao outro o direito de julgar, emitir opiniões, mesmo quando não solicitado.
Há ainda aqueles que nos dão seu silêncio, mas não o silêncio de apoio que se demonstra num olhar, num abraço apertado; oferecem-nos aquele silêncio que não há outra forma de interpretar senão como desprezo, indiferença, e acabamos somando mais uma dor, nos fazendo sentir que nossos sentimentos não têm valor algum. E como isso também dói.
Os sentimentos e emoções afetam todo nosso organismo, como todos nós sabemos.
Como não é algo que podemos visualizar, é abstrato, muitas vezes temos dificuldade em identificá-los ou entendê-los e assim, elaborá-los. Sentimos angústia, cansaço, uma grande confusão que nos impede até de pensar e, fugimos. Não queremos pensar e muito menos enfrentar, ainda que inconscientemente. Mas logo a angústia insiste em retornar como se fosse para nos lembrar que há algo mal resolvido dentro de nós.
Nesse momento, muitas vezes, o melhor amigo poderá ser um papel em branco... é isso mesmo, uma folha onde você poderá escrever tudo o que sente, sem julgamentos, ou ainda no computador, mas só tome o cuidado para que outra pessoa não tenha acesso às suas anotações.
Quando você escreve o que sente, permite uma conexão com você mesmo e com tudo aquilo que você tem de mais valioso: seus sentimentos. Ainda que ninguém os respeitem ou considerem, você deve respeitá-los e acima de tudo, ouvi-los.
Escrever sobre os próprios sentimentos pode melhorar até a saúde e ajudar na remissão de muitos sintomas.
Foi realizada uma pesquisa na Universidade de Kansas, nos Estados Unidos, onde acompanharam 180 mulheres em estágio inicial do câncer de mama por três meses e as conclusões são claras. Elas foram divididas em 3 grupos. Um escreveu sobre o medo de morrer, o segundo sobre a aproximação da família e o último não escreveu nada. Quem passou para o papel seus sentimentos teve menos da metade dos problemas físicos relacionados ao tratamento. Mas não precisamos ir muito longe, de todos as pessoas que atendo no consultório, todas são orientadas a escrever sobre seus sentimentos. É claro que apenas uma minoria coloca em palavras o que sente, porém são essas as pessoas que mais conseguem obter controle sob suas emoções.

Ao escrever, você adquire antes de tudo autoconhecimento. Você pode escrever o que está sentindo no momento, ou escrever sobre toda sua história, principalmente momentos que marcaram sua vida. Isso trará um entendimento mais profundo de muitas situações que foram deixadas de lado, mas nem por isso deixam de machucar.
Você pode fazer um diário de emoções, anotando tudo o que sente. Quando for escrever, não se preocupe com a caligrafia, acentos, pontuação, dê ouvidos apenas aos seus sentimentos, permitindo-se expressar apenas sua emoção. Ao escrever seus sentimentos, o lado direito de seu cérebro estará ativado, que é a parte responsável pelas emoções, e ao preocupar-se com a letra, ativará o lado esquerdo, responsável pela razão, e que poderá bloquear suas emoções. Por isso, não se preocupe com nada, apenas em colocar em palavras o que sente.

No começo será natural sentir um pouco de dificuldade, mas se deixar fluir tudo o que estiver sentindo, sem querer entender ou justificar, aos poucos perceberá que os sentimentos virão e seus dedos correrão sobre o papel ou teclado com muita facilidade. Se estiver muito confuso, poderá escrever o que estiver sentindo separando por áreas da sua vida, por exemplo, profissional, financeiro, afetivo, familiar, pessoal, pois muitas vezes a confusão se instala quando misturamos tudo.
Depois que suas emoções foram colocadas no papel, você poderá em outro momento em que estiver mais calmo, ler o que escreveu e analisar, agora sim com a razão, sobre tudo que estava sentindo. Isso fará com que perceba mais claramente seus sentimentos e também os motivos que os despertaram. É como se organizasse sua mente, equilibrando sua emoção com a razão.
Podemos encontrar nas letras os motivos e o entendimento dos próprios sentimentos. Você pode também escrever, se for o caso, para alguém com quem você não consegue verbalizar o que sente, seja depois de uma briga ou apenas para expressar seus sentimentos, sem pensar em entregar, apenas para desabafar o que sente.

Mas escrever serve mesmo para conhecer-se! Descobrir o que pensamos sobre nós mesmos e também os sentimentos que são despertados dentro de nós por aqueles com quem convivemos eleva nossa percepção de nós mesmos. É como um levantamento de nossas idéias e uma auditoria nos sentimentos. É uma maneira de comprometer-se consigo próprio, transformando o raciocínio em palavras que podem ser relidas, analisadas, sem defesas ou fugas, que muitas vezes acontecem quando ficam limitadas apenas aos pensamentos.

Mas tenha o cuidado para que ninguém tenha acesso às suas anotações ou seu diário. Depois de tudo analisado, você poderá, se quiser, rasgar, amassar, queimar, jogar no lixo, deletar, ou ainda, poderá guardar para ir observando, cada vez que reler, seu próprio progresso, suas conquistas, sua capacidade de superar obstáculos que a princípio pareciam intransponíveis. Escrever é altamente terapêutico e torna-se cada vez mais fácil com a prática. Você só saberá se começar. Você tem uma folha de papel em branco?...

http://somostodosum.ig.com.br/conteudo/c.asp?id=08812

domingo, 21 de junho de 2009

A pílula do amor

Reações: 
Um comentário: Links para esta postagem

A pílula do amor

Dom, 21 Jun, 12h16

Por Rocío Gaia - EFE Reportagens


Imagine se dentro de alguns anos existisse um remédio em forma de comprimido ou inalável que pudesse salvar o relacionamento de um casal. Talvez isso seja possível, de acordo com os trabalhos do pesquisador americano Larry Young, que estuda as bases químicas de uma das mais intensas, complexas e frequentemente contraditórias emoções humanas: o amor.

Cientista da Universidade de Emory, em Atlanta (EUA), Young e sua equipe, em
alguma medida, consideram que o amor "pode ser comparado a uma droga, já que está relacionado com as reações químicas que ocorrem no corpo e afetam o comportamento ou suas funções".

O doutor esclarece que, embora poderiam ser colocadas algumas bases para uma hipotética "poção do amor", suas pesquisas não têm esse objetivo, mas "desentranhar muitos aspectos de certos transtornos, como o autismo, que afeta a capacidade de estabelecer relações sociais, estudando os fatores químicos envolvidos nas emoções". Seus estudos com ratos da pradaria - animais que são bons modelos para as relações humanas, já que formam casais para a vida toda e passam sua juventude juntos - mostraram que uma rápida dose do hormônio correto pode alterar radicalmente as relações destes roedores.

"Nos testes com os ratos, tomando uma fêmea, se ela for colocada junto com um macho e se injeta ocitocina em seu cérebro, o animal tentará se vincular rapidamente com o macho. Por outro lado, se forem retirados seus níveis naturais de ocitocina, a fêmea rejeita o macho", disse o especialista.



O hormônio da confiança

Está provado pelos cientistas que a ocitocina cumpre diversas funções nas relações e
reprodução humanas. Sua liberação durante o orgasmo exerce um potente bloqueio do estresse e também estimula a circulação do esperma e a contração da musculatura pélvica feminina. No parto, esta substância também faz com que o leite chegue aos seios da mãe e estimula o bebê a sugar o mamilo.

O contato do bebê com o mamilo do peito da mãe gera reações no cérebro da mulher que leva à secreção de ocitocina, o "hormônio da confiança", revelou um estudo internacional publicado na parte "Computational Biology" da revista "Public Library of Sciences".

"Este hormônio intervém nos laços sociais e trabalhistas, e nas relações em que uma pessoa cuida de outras. Nos animais, esta substância é responsável de desenvolver o vínculo entre a mãe e sua descendência", segundo Young, que também afirmou que este processo "ocorre do mesmo modo nos humanos".

Além da descoberta do especialista de que a ocitocina é a responsável por vincular os ratos da pradaria, outras pesquisas anteriores realizadas com humanos mostraram que "esta substância hormonal também aumenta a em relação a outras pessoas e a habilidade de compreender suas emoções", segundo o pesquisador americano.O doutor Young acredita também que esse hormônio "também intervém no fortalecimento dos vínculos entre as pessoas".

Se isso se confirmar, algum dia seria possível desenvolver afrodisíacos químicos que fariam com que nos apaixonássemos por uma pessoa ou que despertassem o interesse de outros em alguém, chegando a existir, inclusive, "antídotos contra amores inconvenientes". Uma pílula com esses efeitos provavelmente bateria todos os recordes de venda, certamente superiores às de muitos compostos farmacológicos para tratar uma doença, aliviar a dor ou prevenir um transtorno.

Por enquanto, essa "poção do amor" não chegou às farmácias, mas alguns empresários sonham com ela e, inclusive, já comercializaram através da internet produtos com aspecto de perfume que combinam a ocitocina com feromônios - hormônios associados à atração sexual nos animais - e que prometem aumentar as relações e encontros.Se algum dia fosse possível desenvolver um remédio deste tipo e complementando com uma terapia de casal, isso poderia ser proveitoso para casamentos em crise.

"Com um composto químico deste tipo, poderia se chegar a desenvolver uma 'prova do amor' para saber se duas pessoas são compatíveis para ter uma vida feliz em comum", disse o pesquisador.



Por Rocío Gaia.
Efe-Reportagens.
http://br.noticias.yahoo.com/s/21062009/48/saude-pilula-amor.html

Oração de Agradecimento

Reações: 
Um comentário: Links para esta postagem





Fonte:http://www.ginaalves.kit.net/Dicionario/agradecimento.jpg
http://www.sorria.com.br/mensagem/824/oracao-de-agradecimento.html


quinta-feira, 18 de junho de 2009

Como a lua influencia a nossa vida

Reações: 
Um comentário: Links para esta postagem


por Ramy Shanaytá - ramyshanayta@kvt.org.br

No céu, à noite, uma avó cuida de seus netos.

A Mãe Lua, Anciã, é mais antiga do que a Terra e do que o Sol e é conhecida e estudada pela ciência como um satélite natural, um pedaço de uma estrela ou de outro astro que realiza uma órbita ao redor da Terra e não possui luz própria, além de ser bem menor que o planeta Terra.
Esse satélite natural influencia as marés e sua história romântica e espiritual acompanha o imaginário do ser humano desde antigas eras, visto que várias sociedades assumiram ser a Lua o seu mais sagrado símbolo espiritual. Ela ensina sobre o tempo e é a força de comando no reconhecimento de um calendário que expressa os ciclos naturais.

Cada fase da Lua é reconhecida com sua potência, pois cada fase mostra, em sua presença, o que é.

A Lua Nova é quando a Mãe Lua se encontra mais oculta. Como não é vista em sua totalidade, ensina sobre o início de uma jornada, sobre a reunião interna e revela sua potência purificadora. Vai gerando no corpo físico a força de desintoxicação, ou seja, o que se encontra acumulado vai ser desagregado.
A energia da Lua, nesta fase, inspira o ser a ir buscá-la, já que encontra-se oculta; esta energia é a ignição para o movimento, a procura, a busca.
Neste período, a força de um vegetal encontra-se na região da raiz, nas regiões subterrâneas da terra, sendo também um bom período para plantar. É o momento de reduzir a alimentação para que o organismo possa fluir com a energia ignidora da desintoxicação.
No preparo de uma fervura de vegetais, a borra acumulada no fundo de uma panela irá engrossar mais, visto que a potência de reunião se encontra ampliada.
Na Lua Nova é muito escuro nas matas, fortalecendo a potência de vegetais que são lunares, ou seja, que não possuem aromas que expandem no ar. Este ciclo lunar produz o movimento interno no ser que adentra em um local de natureza mais fechada, de um melhor desenvolvimento de sua observação, já que para cada passo dado é necessária muita atenção, pois existe vida debaixo da terra, acima dela, na altura dos olhos, no alto das árvores e também no céu.
Nesta época, toda a lenha que for multiplicada ficará com baixa resistência devido à ação da vida de fungos e outros pequenos seres que dela vão se alimentar.

A Lua em Fase Crescente traz a potência de expansão das energias vitais, seja no reino mineral, vegetal, animal e no ser humano, quando as energias pulsantes vão sendo expandidas, continuamente, produzindo uma intensificação no desenvolvimento do organismo físico - neste período os alimentos são mais bem absorvidos, pois o corpo assimila mais rápido seus efeitos - assim como no campo emocional e em níveis mais sutis.
Nesta fase, como a força do vegetal se expande para suas partes aéreas, é o momento de trabalhar com as ervas na ação de poda, de transplantar aquelas que são cultivadas e de colher as folhas, pois sua potência encontra-se ampliada.

A Lua em Fase Cheia é o momento em que a Mãe Lua expressa sua expansão - clareando as matas à noite e possibilitando a caminhada - realizando a potência refletora em sua totalidade e, dessa maneira, produzindo intensos comandos no movimento das águas dos mares, rios, umidade do ar e em nuvens carregadas, além de agir na água dentro de nosso corpo e, portanto, será neste período que, ao ingerirmos água, os minerais serão bem assimilados pelo organismo.
Como ela atua no movimento das águas, produz efeito também na pressão arterial, já que o caminho do sangue é como o caminho dos rios, além de ser também a fase do parto, pois com a virada da Lua, a possibilidade da mulher parir aumenta consideravelmente. É na virada da Lua Crescente para a Cheia o período em que as nuvens se preparam para expandir a chuva renovadora.

Texto revisado por Cris


Fonte:http://somostodosum.ig.com.br/clube/c.asp?id=18401


Liberte-se dos três tipos de sofrimento

Reações: 
Nenhum comentário: Links para esta postagem
por Emilce Shrividya Starling

Existem três tipos básicos de sofrimento:

1. Ignorância

2. Apego

3. Aversão

Vamos falar um pouco sobre cada um deles, pois ao entendermos como evitá-los, poderemos eliminar ou amenizar nossa dor.

A ignorância é como uma cegueira mental. Apesar de acumularmos muitos conhecimentos úteis durante nossa vida, não conseguimos aprender o mais importante dos conhecimentos: saber lidar com a impermanência dos estados de prazer, alegria e felicidade.

Esta ignorância gera os outros dois sofrimentos: o apego e a aversão, criando a dualidade de nosso estado mental confuso.

Quando somos crianças queremos situações e sensações boas e evitamos as sensações ruins. Isto é saudável nesta idade infantil, mas nossos problemas começam quando nos tornamos adultos e nos apegamos aos momentos bons. Tentamos segurar as sensações prazerosas e tentamos evitar que elas terminem. Não estamos preparados para as mudanças que podem acontecer. Chamamos de apego esta ilusão de acharmos que temos controle sobre a duração da felicidade. Mas não temos controle algum sobre isto.

Como não temos consciência da impermanência dos acontecimentos, queremos segurar a vida e os momentos de felicidade. Ao pensar e agir desse modo, deixamos de viver o momento presente. Passamos a viver de uma felicidade que já passou ou que esperamos que aconteça. Para tentar satisfazer nossos desejos sensoriais, fazemos de tudo para evitar o sofrimento. Mas o sofrimento faz parte da vida e nem sempre podemos evitá-lo. Precisamos saber lidar com ele, enfrentá-lo, tentar transformar o sofrimento em estados mais equilibrados e compreender que são oportunidades de evolução e aprendizado.

Sentir aversão por alguma coisa ou por alguém gera sofrimento. Ódio e raiva são emoções negativas que trazem muitas inquietações.

Ao praticarmos a bondade, a amabilidade, a paciência, tornamos nossos relacionamentos mais naturais, espontâneos e verdadeiros. Por meio destas virtudes, edificamos um mundo mais humano e aprendemos a eliminar tanto o nosso sofrimento como o dos outros, e desta maneira, somos mais felizes.

Vamos tomando consciência da dor dos outros à nossa volta. E assim, percebemos a necessidade de ajudá-los a terem consciência de como podem amenizar e aceitar a dor para não serem infelizes. Daí surge a virtude da compaixão que é uma grande chave para nossa libertação.

A compaixão é uma qualidade essencial para nos livrarmos de nossas ansiedades e aversões. Compaixão não é sentir dó ou piedade. É uma atitude de valorizar a outra pessoa, percebendo que somos todos iguais. Abrimos nosso coração para sentir sentimentos como compreensão e aceitação.

A compaixão vai se desenvolvendo à medida que cultivamos a equanimidade, o não julgar, o não criticar e, passamos a ter o mesmo zelo pelo bem-estar dos outros como temos pelo nosso.

Para entendermos melhor os altos e baixos da vida, temos que compreender a lei cármica da impermanência.

Carma não é punição, é uma lei de causa e efeito. O carma não é um destino imutável. É impermanente, manipulável, transformável e pode ser extinto ou diminuído.

As sementes cármicas, boas ou más, têm o potencial de produzir frutos bons ou maus. Ao entender isso, você compreende que pode mudar seu destino e que pode segurar as rédeas de seu destino nas mãos se desenvolver boas virtudes.

Mesmo uma pequena ação pode ter uma grande consequência, positiva ou negativa. Às vezes, pequenos gestos gentis e favores, que você faz para alguém e nem se lembra mais, podem gerar bons frutos no futuro, pois aquela pessoa se lembra de sua bondade e procura lhe ajudar de outras maneiras.

Quanto maior a compaixão e a bondade de uma pessoa, maiores são as suas experiências subjetivas de felicidade. Quanto maior a negatividade, maior o seu sofrimento e dor. A realidade de nossa vida cotidiana é o resultado cármico dos nossos pensamentos, intenções, palavras e ações.

Pratique os sábios ensinamentos do yoga e aprenda a diminuir seu sofrimento e a suportar melhor suas dificuldades. Fique em paz! Namastê! Deus em mim saúda Deus em você!


Fonte:http://www2.uol.com.br/vyaestelar/equilibrese.htm

Repúblicas de Ouro Preto terão de restaurar casarões históricos

Reações: 
Um comentário: Links para esta postagem

Repúblicas de Ouro Preto terão de restaurar casarões históricos.

Do UOL Notícias
Em São Paulo


As repúblicas estudantis de Ouro Preto (MG) serão obrigadas a reconstruir os imóveis que ocupam segundo projetos que respeitem as características históricas originais dos casarões. De acordo com o Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), as intervenções e reformas feitas pelos estudantes que moram nos locais modificaram características arquitetônicas e causaram danos ao patrimônio cultural do município.

A maior parte das moradias estudantis de Ouro Preto estão em imóveis públicos cedidos pela Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop). Segundo o portal regional "Uai", por meio de contrato, os alunos se comprometem a manter as casas em perfeito estado de conservação. No entanto, a universidade fazia vista grossa às intervenções arquitetônicas.

Sete repúblicas assinaram Termo de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público Federal, o escritório regional do Iphan e a prefeitura da cidade para fazer a restauração dos casarões. A Ufop se comprometeu a arcar com os custos das obras e arcar com os danos. Caso alguma das repúblicas descumprir o acordo, a universidade também terá de arcar com os danos, informou o "Uai".

Fonte: http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2009/06/18/ult5772u4382.jhtm
http://www.abpef.org.br/html/imagens/ouro_preto/

Mundo Animal - Papagaio alpino rouba passaporte e parte em fuga na Nova Zelândia

Reações: 
2 comentários: Links para esta postagem
da Folha Online

Um papagaio protagonizou uma cena inusitada em South Island, Nova Zelândia.

A ave roubou o passaporte de um escocês que viajava em um ônibus pelos fiordes de Milford Sound, dentro do Fiordland National Park, informa o jornal "Southland Times".

O "crime" aconteceu quando o ônibus teve de fazer uma parada na estrada e o motorista abriu o compartimento de bagagens.
O pássaro alpino, um papagaio-da-nova-zelândia, ficou de olho em uma bolsa colorida e, na primeira oportunidade, tirou dela o documento.

Depois do ato, saiu em disparada para um arbusto.

A polícia afirmou ao jornal que será muito difícil encontrar o passaporte na vasta vegetação do local.

"Meu passaporte está em algum lugar de Fiordland. O papagaio provavelmente vai usá-lo em algo fraudulento", brincou o dono do documento, que não quis se identificar à publicação.
Uma outra via do passaporte foi solicitada à representação britânica na Nova Zelândia.

Fonte:http://www1.folha.uol.com.br/folha/bichos/ult10006u573675.shtml

quarta-feira, 17 de junho de 2009

O desmatamento da Amazônia, miragem econômica para os brasileiros

Reações: 
Um comentário: Links para esta postagem
LE MONDE

Jean-Pierre Langellier
No Rio de Janeiro (Brasil)


Não só o desmatamento progressivo da Amazônia tem consequências nefastas para o meio ambiente do Brasil e do planeta, como ele também não beneficia, a médio prazo, do ponto de vista econômico e humano, as populações que participam dele ou que o acompanham, ao se estabelecerem nas regiões desflorestadas. É essa a conclusão essencial de um estudo de campo conduzido por uma equipe internacional de seis pesquisadores e publicada, na sexta-feira (12), pela revista americana "Science".

Segundo os autores da pesquisa, o desflorestamento leva, em um estágio inicial, a uma melhora de vida das populações locais, que se reflete no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Esse índice, adotado pela ONU, é calculado a partir de três critérios: a expectativa de vida, o nível de renda e a taxa de alfabetização.

Ele progride tão rápido quanto a média nacional brasileira, ou até mais, ao longo da fronteira do desflorestamento. Mas, à medida que essa fronteira se desloca, os progressos do desenvolvimento humano diminuem: este último encontra nas regiões já desflorestadas um nível comparável - e baixo - àquele registrado nas zonas não desflorestadas.

O desmatamento e a extensão da agricultura e da pecuária às custas da floresta atraem para a fronteira "migrantes" de toda espécie - grandes fazendeiros, pequenos "colonos", camponeses sem-terra, madeireiros, comerciantes, garimpeiros - em busca de lucro ou simplesmente de uma vida melhor. A chegada desses brasileiros, menos pobres que a população local, contribui parcialmente para os progressos do IDH. Mas muitos deles também são mais pobres e menos instruídos que a média nacional. O boom do desenvolvimento se deve então, sobretudo, à exploração dos recursos naturais, facilitada por um melhor escoamento dos produtos graças às novas estradas asfaltadas, e à implantação da rede governamental de educação e saúde.

No entanto, esses progressos são efêmeros. O IDH cai rapidamente nas localidades das regiões desflorestadas, de acordo com o declínio de produtividade das atividades econômicas causado, por exemplo, pelo esgotamento dos recursos madeireiros ou pela degradação dos pastos. O estudo lembra que, no início dos anos 1990, mais de 75% das terras desflorestadas na Amazônia eram dedicadas à pecuária, e mais de um terço já foram abandonadas.

Essa pesquisa foi realizada em 286 municípios, em estágios diversos de desmatamento, que representam a imensa maioria do território e da população amazônica. Ela termina em 2000, ano dos últimos números de recenseamento conhecidos. Conclusão do estudo: "O atual modo de desenvolvimento da Amazônia está muito longe do desejável, seja para os homens, seja para a natureza".

O que fazer? "É preciso combinar as abordagens", explica uma das autoras do estudo, Ana Rodrigues, do Centro de Ecologia Funcional e Evolutiva no CNRS de Montpellier. "Valorizar mais as regiões desflorestadas. E, sobretudo, reduzir o desmatamento, promover o reflorestamento nas zonas degradadas, incentivar as populações florestais a conduzirem atividades de desenvolvimento sustentável". Por exemplo, remunerando os serviços voltados ao ecossistema pelos habitantes da floresta, como se começa a fazer no Brasil.

Lista de multinacionais
Em um relatório recente, o Greenpeace destacou que a pecuária intensiva de bovinos é responsável por 80% do desflorestamento. Segundo a organização ecologista, "no decorrer dos últimos anos, um hectare de floresta foi destruído a cada 18 segundos em média pelos criadores de gado". O Brasil se tornou o principal exportador de carne bovina, com um terço da tonelagem mundial.

O Greenpeace critica o governo por incentivar a pecuária, ao ajudar financeiramente as grandes empresas do setor e fechar os olhos para as explorações ilegais. Ele cita uma longa lista de multinacionais, compradoras de produtos provenientes de explorações envolvidas no desflorestamento ilícito.

Um intenso debate opõe atualmente ecologistas e exploradores rurais a respeito de um projeto de lei prestes a ser votado sobre a regularização fundiária na Amazônia. Em princípio - dar uma garantia jurídica aos agricultores, especialmente os mais vulneráveis - , o texto obtém unanimidade em seu favor.

Mas os ecologistas, que têm o apoio do ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, acusam os parlamentares de terem distorcido o projeto ao introduzirem diversas cláusulas consideradas favoráveis demais ao agronegócio. O ministro espera que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva decida em seu favor.

Tradução: Lana Lim

fonte:http://noticias.uol.com.br/midiaglobal/lemonde/2009/06/16/ult580u3761.jhtm

terça-feira, 16 de junho de 2009

Mundo da Matemática - Biografia Blaise Pascal

Reações: 
Nenhum comentário: Links para esta postagem


"É o coração que sente Deus e não a razão." Pascal

Blaise Pascal nasceu a 19 de Junho de 1623, em Clermont-Ferrand na França, filho de Étienne Pascal e Antoniette Bejon. Com apenas três anos, Blaise perdeu a mãe e o su pai encarregou-se directamente da sua educação. Étienne, seu pai, desenvolveu um método singular na educação do filho, com exercícios de diversos tipos para despertar o a razão e ao juízo correto. Usou os jogos para ensinar várias disciplinas como a Geografia, história e filosofia. AS aulas de matemática só fizeram parte dos estudos quando este apresentou indícios de estar mais maduro.

"O prazer dos grandes homens consiste em poder tornar os outros felizes"Pascal

Dessa forma, mantinha longe do menino os grossos livros de matemática, mas desde cedo Pascal teve uma curiosidade sobre aqueles "estranhos" assuntos. De conversas que ouvia ou de obras que passavam pela censura do pai, logo descobriu as maravilhas da ciência dos números. Mesmo sem professor ou livro guia, passou a desenvolver seus estudos. Certo dia, seu pai viu o jovem rapaz a desenhar figuras geométricas com carvão, várias das proposições da matemática de Euclides. Pascal chegou à 32a. fórmula proposta no livro 1 do velho sábio e por essa razão foi-lhe dada permissão para que avançasse livremente sobre aqueles ramos do conhecimento.

"A imaginação tem todos os poderes: ela faz a beleza, a justiça, e a felicidade, que são os maiores poderes do mundo."Pascal

Pascal juntou-se aos sábios do círculo de Mersenne quando tinha apenas 13 anos de idade. Ali, pode coleccionar informações para desenvolver mais rapidamente seus trabalhos. Aos 17 anos, descobriu e publicou uma série de teoremas em geometria, fundamentais ao desenvolvimento tecnológico futuro, como por exemplo o campo da aviação. Mais tarde, para ajudar o pai, sempre ocupados com números, dedicou-se a criar uma máquina de calcular. Para que possamos imaginar a revolução causada no nosso presente, Pascal é o nome de uma importante e famosa linguagem base para computadores, usada em todo mundo. Pascal desenvolveu importantes estudos que tiveram como inspiração as descobertas do italiano Torricelli sobre a pressão atmosférica.


A partir de 1647, Pascal, dedicou todos os seus esforços à aritmética, Desenvolvendo cálculos de probabilidade, a fórmula de geometria do acaso, o conhecido Triângulo de Pascal e o tratado sobre as potências numéricas. Todo esse esforço aliado à fala de descanso, arruinou a sua saúde e ele caiu gravemente enfermo.

Nesse mesmo ano, após uma "visão divina", abandonou as ciências para se dedicar exclusivamente à teologia. Durante ess período publicou os seus principais livros filosófico-religiosos: "Les Provinciales (1656-1657)", conjunto de 18 cartas e "Pensées (1670)", um tratado sobre a espiritualidade, em que fez a defesa do cristianismo, inspirado em Santo Agostinho.

Como teólogo e escritor destacou-se como um dos mestres do racionalismo e irracionalismo modernos e sua obra influenciou os ingleses Charles e John Wesley, fundadores da Igreja Metodista. Um dos seus tratados sobre hidrostática, "Traité de l'équilibre des liqueurs", só foi publicado um ano após sua morte (1662), onde esclareceu os princípios barométricos, da prensa hidráulica e da transmissibilidade de pressões. Foi nesta obra que estabeleceu o princípio de Pascal que afirma: "um líquido em repouso ou equilíbrio as variações de pressão transmitem-se igualmente e sem perdas para todos os pontos da massa líquida". Princípio usado no presente, no funcionamento do macaco hidráulico.

fontes:
http://www.pensador.info/autor/Blaise_Pascal/biografia/


www.biografiasyvidas.com/biografia/p/fotos/pascal

Americanos descobrem nova espécie de cogumelo em forma de pênis

Reações: 
Nenhum comentário: Links para esta postagem
Pequeno fungo vem de São Tomé e Príncipe, na África Ocidental.
Criatura emite cheiro podre para atrair moscas e dispersar esporos.


Pesquisadores da Academia de Ciências da Califórnia deram um presente de grego a um de seus colegas: batizaram uma nova espécie de cogumelo, que tem formato de pênis, com o nome dele. O fungo fálico, do tipo "stinkhorn" (algo como "chifre fedido", em inglês), recebeu o nome científico de Phallus drewesii. A descrição da espécie sairá na revista científica "Mycologia".


O cogumelo ocorre na ilha africana de São Tomé e produz um odor penetrante de carne podre, afirmam seus descobridores, Dennis Desjardin e Brian Perry, que também trabalham na Universidade Estadual de San Francisco. É o único tipo de cogumelo fálico que apresenta uma curvatura para baixo, e não para cima.

O cheiro característico serve para atrair moscas, as quais consomem os esporos do fungo e o dispersam pela floresta, auxiliando na propagação da espécie.

O homenageado pelo nome do novo fungo é Robert "Bob" Drewes, curador de herpetologia (estudo de répteis e anfíbios) da Academia de Ciências da Califórnia e grande incentivador das pesquisas sobre biodiversidade em São Tomé. "É uma grande honra e muito divertido ver que esse fungo em forma de falo recebeu o meu nome. Fui imortalizado nos registros científicos", disse Drewes em comunicado.





FONTE: http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL1195255-5603,00-AMERICANOS+DESCOBREM+NOVA+ESPECIE+DE+COGUMELO+EM+FORMA+DE+PENIS.html

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Diploma de doutorado de Einstein é leiloado por quase € 200 mil

Reações: 
Nenhum comentário: Links para esta postagem
Diploma de doutorado de Einstein é leiloado por quase € 200 mil.


Da Efe

Em Genebra

O diploma de doutorado do físico e humanista alemão Albert Einstein foi adquirido por mais de 300 mil francos suíços (€ 198 mil, ou R $ 533 mil) em um leilão na cidade suíça de Lucerna.

O documento, expedido pelo Departamento de matemática e ciências naturais da Universidade de Zurique, foi adquirido por um colecionador particular, comentou o diretor da Galeria Fischer Auktionen AG, Kuno Fischer, em comunicado.




O dono de galeria Kuno Fischer posa
com o certificado de doutorado de Albert Einstein

Com data de 15 de janeiro de 1906, o preço do documento estava avaliado entre 20 mil e 30 mil francos suíços (€ 13.254 e € 19.882).

Naquele ano, o físico entregou uma tese sobre um novo método de medição das dimensões moleculares, na qual explicava como calcular o tamanho de um átomo.
A partir daí, Einstein terminou sua famosa teoria da relatividade
publicou o artigo sobre o efeito fotoelétrico que lhe deu o Prêmio Nobel de Física em 1921.
O discurso de Einstein na cerimônia de entrega do título de doutor "honoris causa" da Universidade de Genebra, em 1909, também foi leiloado hoje, por 102 mil francos (€ 67.579, ou R$ 182 mil).

Os trabalhos de Einstein (1879-1955) mudaram radicalmente a visão do mundo do ponto de vista da física.

Fonte:http://cienciaesaude.uol.com.br/ultnot/efe/2009/06/15/ult4429u2158.jhtm







sábado, 13 de junho de 2009

Astrologia - Os 4 Temperamentos Básicos

Reações: 
Nenhum comentário: Links para esta postagem
Vote no Fleex

:: Graziella Marraccini ::

"O que está em cima é como o que está embaixo e o que está embaixo é como o que está em cima". O CAIBALION

Os signos astrológicos e as doenças que são relacionadas com os planetas e conseqüentemente com os signos. Descrever os sintomas das doenças de forma psicossomática, induzindo as analogias necessárias para buscar em sua própria mente e em seu próprio temperamento a natureza de suas doenças.

- A astrologia divide os signos zodiacais segundo suas qualidades, em Cardeais, Fixos e Mutáveis.
Dos signos Cardeais dependem a atividade, o movimento e a energia e atividade corporais e físicas.
Dos signos Fixos dependem a estabilidade, a firmeza, a vontade e a paixão, assim como a energia psíquica.
Dos signos Mutáveis dependem a adaptação, a reflexão, a maleabilidade, o movimento alternativo e vibratório e a atividade mental.
Os signos Cardeais, Áries, Câncer, Libra e Capricórnio, predispõem as pessoas à problemas de cabeça, de estômago, de rins e da pele.
Os signos Fixos, Touro, Leão, Escorpião e Aquário, predispõem as pessoas à dores de garganta, problemas do coração, das costas, da circulação sangüínea, dos órgãos genitais.

- Os quatro temperamentos básicos são:
Bilioso: que depende dos signos de Fogo, (Áries, Leão e Sagitário) e dos planetas Marte e Sol. Predispõe à doenças da biles e inflamatórias, torna a natureza excitável, temerária e febril. Confere predisposições ativas, políticas e militares. É um temperamento de ação.

Nervoso: que depende dos signos de Terra, (Touro, Virgem e Capricórnio), e dos planetas Mercúrio, Urano e Saturno. Confere uma forma de agir agitada e apressada e predispões às doenças de ordem nervosa. Confere aptidão para profissões científicas, comerciais e intuitivas. É um temperamento de pensamento.

Sangüíneo: que depende dos dignos de Ar (Gêmeos, Libra e Aquário) e do planeta Júpiter em particular. Confere uma natureza ativa e um corpo rechonchudo, e predispõe às doenças do fígado e à apoplexia. A natureza é jovial e otimista. Confere aptidão para as atividades industriais e intelectuais. É um temperamento de ação.

Linfático: que depende dos signos de Água, (Câncer, Escorpião e Peixes), e dos planetas Lua, Vênus e Netuno. A sua natureza é anêmica, lânguida e letárgica. Tem tendência à hidropisia e à falta de glóbulos vermelhos no sangue. Possui disposições artísticas, plásticas, contemplativas e emocionais. É um temperamento de sensação e sentimento.

- Além dos quatro temperamentos, podemos descrever as partes do corpo que são regidos pelos signos:
Áries: A cabeça, a face, a testa, os olhos e o cérebro.
Touro: O pescoço, a garganta, a laringe.
Gêmeos: Os pulmões, os braços e mãos, os ombros, os nervos.
Câncer: O estômago, o peito, a caixa torácica, os seios.
Leão: O coração, as costas, a coluna vertebral.
Virgem: O ventre, os intestinos e os órgãos de assimilação.
Libra: Os rins
Escorpião: Os órgãos sexuais, o intestino grosso, a bexiga, o ânus e o nariz.
Sagitário: As coxas, as nádegas, os quadris.
Capricórnio: Os joelhos, a pele, os ossos e as cartilagens.
Aquário: As pernas, tornozelos, o sangue, as costas e os nervos.
Peixes: Os pés, as mucosas, a linfa.

Ainda existem as analogias com os signos Cardeais, Fixos ou Mutáveis, e dos elementos, Terra, Ar, Fogo e Água, que podem ser deduzidos pelos 12 signos descritos acima.

Desta forma, quando falamos da influência dos astros sobre nossa saúde, nos referimos sempre à Lei Hermética descrita no cabeçalho: "O que está embaixo é como o que está em cima e o que está em cima é como o que está embaixo". Ao descrever os sintomas das doenças de forma psicossomática, queremos induzir nossos leitores a fazerem as analogias necessárias para buscar em sua própria mente e em seu próprio temperamento a natureza de suas doenças. Não tenho a intenção de curar o doente, já que este é o papel da medicina, seja ela alopática, homeopática, ou holística, mas de induzi-lo à reflexão. "Mens sana in corpore sano", diziam os romanos.

Se considerarmos rapidamente os sintomas do resfriado, ou da gripe, veremos que eles são processos de inflamação agudos dos nossos órgãos de respiração. Um resfriado ou uma gripe se manifesta normalmente quando estamos em situação de crise, quando a gente "já não agüenta mais" alguma coisa. Podem não ser crises violentas, que se manifestariam também de modo violento, mas crises de situação, difíceis de serem assimilados. Para a nossa psique uma situação difícil de suportar pode desencadear uma situação de crise, que irá se manifestar em fadiga, sensação de peso, vontade de largar o corpo. Desta forma, através do resfriado, fazemos com que todos nos aconselhem a cama e o repouso, nos ajudando assim a superar o momento de crise.

Nosso resfriado nos ajuda a "manter distância", das pessoas e dos problemas, com nosso nariz entupido, os olhos lacrimejantes, a dor de cabeça, ninguém ousaria vir discutir algum problema conosco! Se além disso tivermos acessos de tosse, isto significa que estaremos de forma clara limitando o contato com os outros, como num instintivo movimento de defesa.

Podemos também ter inflamação nas amígdalas, que nos impedem de "engolir" os sapos do nosso dia à dia. Quando não aceitamos mais as coisas como elas são e não as engolimos mais, ficamos resfriados. Porém, para sararmos deste resfriado, precisamos expelir o catarro que bloqueia nossos pulmões, fazendo desta forma um esforços para recomeçar o fluxo da vida e limparmos o nosso organismo num verdadeiro processo de purificação. Na medicina homeopática este processo é tido como benéfico e exonerativo, pois o corpo e a alma saem fortificados da crise.

Faremos então estas perguntas: Quais sãos os problemas que estão sobre minhas costas? O que é que quero "manter à distância"? O que quero jogar na cara dos outros? O que não consigo engolir?

Desta forma estaremos facilitando nosso processo de cura.

Fonte: http://somostodosum.ig.com.br

Airbags obrigatórios em 2014

Reações: 
Nenhum comentário: Links para esta postagem
Brasília, 1º de junho de 2009

Anualmente, o Sistema Único de Saúde gasta R$ 5 bilhões apenas com vítimas de acidentes de trânsito, informa o Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea). Segundo o Ministério da Saúde, 35 mil pessoas morrem todos os anos em virtude desses acidentes. Em 2004, as colisões frontais mataram 1.508 pessoas, apenas nas rodovias federais. Estatísticas que posicionam o país entre os piores do mundo no ranking da violência no trânsito.
A Lei 11.910/2009, já regulamentada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran), por meio da Resolução 311, pode diminuir esses números. O dispositivo legal obriga que, até 2014, todos os automóveis zero quilômetro, de até 9 assentos, produzidos no país ou importados, tenham o airbag frontal para motorista e passageiro, como item de série.

A indústria nacional prepara-se para aproveitar essa oportunidade de negócio. Atualmente, apenas três empresas comercializam o airbag no país. Nivaldo Siqueira, gerente de desenvolvimento de negócios da TRW, empresa multinacional que fornece airbags para veículos da Citroen, Fiat e Renault, informa que já foi aprovada uma linha de investimento de R$ 15 milhões para que a fábrica de Limeira (SP) comece a montar os airbags no Brasil, já em 2010.

“Serão airbags made in Brazil, mas toda a tecnologia será importada da planta europeia. Agora, os componentes, com exceção do gerador de gás, serão fabricados no país”, informa Siqueira.

O airbag é composto, basicamente, pela sacola, pelo gerador de gás (inflator – que armazena nitrogênio), carcaça, fixadores e o tecido. Deve ser sempre utilizado com o cinto de segurança, que já é obrigatório segundo o Código Brasileiro de Trânsito.

Patenteado nos EUA, em 1952, e na Alemanha, em 1953, e instalado pela primeira vez como item adicional de segurança em dezembro de 1980, no Mercedes-Benz Classe S, o airbag dispara em colisões a partir de 20 Km/h. Para o acionamento é necessário que dois fatores se combinem: a desaceleração (aferida pelo sensor de gravidade) e a deformação no chassi (detectada por outros sensores). Segundo o Instituto de Segurança de Trânsito dos EUA, o airbag diminui em 59% o risco de ferimentos nos acidentes.

“Em colisões traseiras, não há o acionamento, pois não há benefício para o condutor. Além de gerar um custo extra de recarregar o dispositivo”, informa Siqueira.

A resolução do Contran define o cronograma de implementação do airbag: 8% dos veículos em produção em 1º de janeiro de 2010; 15% em 2011; 30% em 2012; 60% em 2013; até os 100% em 1º de janeiro de 2014. Para novos projetos de veículos, registrados junto ao Denatran, 100% deles já devem ser produzidos com o airbag até 1º de janeiro de 2013.

Recomendações

Para que não haja danos ao motorista no momento da expansão do airbag, alguns cuidados devem ser tomados:

1. Manter uma distância de pelo menos 25 centímetros entre o volante e o rosto do motorista.

2. Não cruzar as mãos sobre o volante, pois, na hipótese de o motorista portar relógio de pulso, o mesmo poderá machucá-lo.

3. Não deixar que o passageiro apóie suas pernas sobre o painel (fato extremamente comum em viagens de média e longa distâncias).

4. Dirigir sempre na posição 9h10.

A Lei é considerada por muitos especialistas um avanço, mas muitos a consideram incompleta já que ônibus e caminhões não são abrangidos por ela. Apenas veículos com até 8 assentos, além do assento do motorista, e que tenham massa não superior a 3,5 toneladas estão incluídos na legislação do airbag obrigatório. Em 2004, ônibus e caminhões foram 30% dos veículos que se envolveram em acidentes em rodovias federais. Automóveis e caminhonetes foram 53,4%.

Mais:
Conheça a Lei 11910
Veja a Resolução 311 do Contran

Thiago Tibúrcio
Assessoria de Comunicação do Confea

Fonte: http://www.confea.org.br/

Beija-flor 'voa mais rápido do que um avião caça', diz estudo

Reações: 
Nenhum comentário: Links para esta postagem




Pesquisador dos EUA disse que ave cobre quase 400 vezes o comprimento de seu corpo em um segundo, enquanto caça cobre 150 vezes



Da BBC

Um estudo da Universidade Berkeley, no Estado americano da Califórnia, revelou que o beija-flor macho atinge uma velocidade proporcionalmente "maior do que a de aviões caça" quando mergulha durante um voo para impressionar as fêmeas.

O pesquisador americano Christopher Clark usou fêmeas de beija-flor empalhadas para induzir os pássaros a fazerem uma exibição impressionante, que ele registrou com câmeras especiais para capturar objetos em alta velocidade. As câmeras capturavam imagens de 500 quadros por segundo.



As aves da espécie conhecida como Anna, que vivem no sudoeste dos Estados Unidos, atingiram velocidades que cobrem um trajeto 383 vezes o comprimento de seu corpo a cada segundo.



De acordo com Clark, o espaço percorrido medido, levando-se em conta o comprimento do corpo da ave e a velocidade máxima atingida pelo animal, foi "maior do que a de um avião caça com sua câmara de combustão auxiliar ligada (o que ajuda a aumentar a velocidade) ou do ônibus espacial durante a reentrada na atmosfera".



O caça pode chegar a cobrir 150 vezes a medida do seu comprimento em um segundo, e o ônibus espacial, 207 vezes.



Mas os caças têm capacidade de acelerar mais e ultrapassar os beija-flores.



Nos últimos estágios de seu mergulho, quando as aves abrem as asas para um voo ascendente, "a aceleração instantânea dos beija-flores é maior do que a de qualquer organismo de que se registrou previamente manobras aéreas", disse Clark.



E ele atinge essa velocidade sem a ajuda de um poderoso motor de jato, acrescenta.



O especialista diz que o estudo é um exemplo de como tais exibições, realizadas com a intenção de atrair uma parceira para o acasalamento, podem ser observadas para verificar os limites das habilidades dos animais.



O mergulho do beija-flor da espécie Anna é mais veloz do que a do falcão peregrino, cuja velocidade máxima chega a cobrir 200 vezes o comprimento de seu corpo a cada segundo.



O trabalho foi divulgado na revista "Proceedings of the Royal Society B".

Fontes:

http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL1189702-5603,00-BEIJAFLOR+VOA+MAIS+RAPIDO+DO+QUE+UM+AVIAO+CACA+DIZ+ESTUDO.html

www.enciclopedia.com.pt/images

http://i.flogvip.net/fotos/v/i/r/virginialima/

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Pesquisador inventa tijolo feito de casca de coco e de castanha

Reações: 
2 comentários: Links para esta postagem
Pesquisador inventa tijolo feito de casca de coco e de castanha

Material é mais resistente do que o tijolo comum.
Blocos não precisam ser cozidos, evitando o uso de lenha.



Iberê Thenório
Do Globo Amazônia, em São Paulo



Um novo tijolo inventado pelo Inpa (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia) não utiliza barro em sua composição. No lugar da argila, são usados restos de casca de coco, de castanha-do-pará e de tucumã, que costumam ser descartados no processamento dessas frutas.

Segundo o pesquisador Jadir Rocha, da área de recursos florestais do Inpa, o novo tijolo é mais resistente que o original, com a vantagem de oferecer mais proteção contra o calor amazônico. “Como as matérias-primas são de vegetais, proporcionam um ambiente muito agradável, faça chuva ou faça sol”, afirma.

Características do tijolo vegetal

Matéria-prima Cascas de coco, “ouriços” de castanha-do-pará, caroços de tucumã e resina.

Durabilidade É resistente a cupim, a chuva e é mais duro do que o tijolo comum.

Aplicação Em edifícios baixos, pois é compacto e tem peso parecido com o tijolo comum.

Vantagens materiais Proporciona mais proteção contra o calor amazônico e não utiliza cimento.

Vantagens ecológicas Recicla restos de frutas que iriam para o lixo e não precisa ser cozido, evitando o consumo de lenha. Além disso, evita a mineração de argila, que é prejudicial ao meio ambiente.

Desvantagens Empresas terão que negociar autorização do Inpa para produzir o novo tijolo. Além disso, a resina utilizada para dar liga aos pedaços vegetais é derivada de petróleo.

Custo Semelhante ao tijolo de barro.

Para conseguir agrupar as cascas duras das frutas e formar um bloco compacto, os restos são triturados, misturados com uma resina e prensados. Além de reciclar esses materiais, o tijolo vegetal tem a vantagem ecológica de não precisar ser cozido, evitando que árvores sejam cortadas para alimentar fornos.

Casca que envolve as castanhas-do-pará, conhecida como ouriço, é um dos principais componentes do tijolo vegetal. Como a invenção ainda não foi patenteada, o Inpe não pode divulgar fotos do novo tijolo. (Foto: Inpa/Divulgação)

Outra vantagem enumerada por Rocha é que o novo tijolo dispensa cimento, pois tem um encaixe que une as peças. Água e cupim, graças à resina utilizada para colagem, também não serão problema. “Utilizamos resina fenólica, uma cola irreversível. Ela é derivada de petróleo. O ideal seria que tivéssemos resinas naturais, mas infelizmente as pesquisas ainda estão começando”, diz o pesquisador do Inpa.

Uma outra novidade apresentada pelo laboratório de Rocha é uma chapa resistente fabricada com folhas. Ela serve para fazer móveis e divisórias, substituindo as chapas de aglomerado, feitas de serragem.

Chapa feita de folhas pode substituir o aglomerado, feito de serragem e usado na fabricação de móveis e divisórias. (Foto: Inpa/Divulgação)

“As folhas passam por um processo de trituração e depois são secas e juntadas com resina. Para dar mais sustentação, colocamos mantas de fibras de vidro. Futuramente, vamos substituí-las por um vegetal, mas isso ainda é segredo industrial."

As chapas de folhas e os tijolos vegetais ainda não são produzidos comercialmente, e estão sendo patenteados pelo Inpa. Para que indústrias possam fabricar os produtos, o instituto conta com um setor especializado em vender tecnologias desenvolvidas lá.

FONTE: http://www.globoamazonia.com/Amazonia/0,,MUL1190233-16052,00-PESQUISADOR+INVENTA+TIJOLO+FEITO+DE+CASCA+DE+COCO+E+DE+CASTANHA.html

O que a ciência sabe sobre as terapias alternativas

Reações: 
Nenhum comentário: Links para esta postagem
Algumas práticas como massagem, acupuntura e musicoterapia têm seus benefícios comprovados pela ciência e ganham espaço como complementos do tratamento convencional

LAURA LOPES

Massagem, acupuntura e musicoterapia podem parecer terapias alternativas demais para os céticos. No entanto, produzem ótimos resultados em pacientes psiquiátricos, com câncer e crianças. Pesquisas recentes também já provaram a eficiência dessas medidas no combate a dores generalizadas, musculares, irritabilidade e depressão – sintomas relacionados a vários tipos de doenças. A importância é tanta que o governo brasileiro aprovou, em maio de 2006, a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC), que incentiva a introdução de atividades pouco comuns à medicina ocidental, como homeopatia, fitoterapia, ginástica chinesa, tai chi chuan e medicina antroposófica no Sistema Único de Saúde (SUS).
Uma pesquisa do Hospital Royal London Homeopathic com profissionais da saúde de Londres mostrou que há um interesse considerável por parte dos pacientes e dos especialistas em saber mais sobre terapias alternativas e em se submeter a elas. Muitos deles responderam ser favoráveis à associação da medicina tradicional a essas terapias milenares. As justificativas são várias: de falha no tratamento convencional a evidências de que elas realmente ajudam no bem-estar dos pacientes. Nos Estados Unidos, 42,8% das americanas e 33,5% dos americanos usam algum tipo de terapia alternativa, segundo uma pesquisa publicada no fim do ano passado pela Universidade de Colorado.

Essa busca por outros tipos de tratamento retoma o cuidado integral da saúde das pessoas, uma prática milenar disseminada pelos chineses e indianos no mundo ocidental. Por isso, é muito comum encontrar, naquele lado do mundo, muitos trabalhos científicos publicados nos últimos dois anos sobre esse tipo de tratamento. No Instituto de Medicina Oriental da Coreia do Sul, pesquisadores fizeram uma revisão científica sobre os resultados efetivos da acupuntura sobre a rinite alérgica e concluíram que ela pode tratar e prevenir a doença crônica.

Na National Yang-Ming University, de Taiwan, pesquisadores não encontraram indícios de que a acupuntura possa ajudar na perda de peso entre mulheres obesas, mas afirmam que ela é capaz de reduzir a taxa de hormônios diretamente ligados à doença. Ao menos em ratos, cientistas da Kyung Hee University, da Coreia do Sul, encontraram provas de que a acupuntura diminui a ansiedade a ajuda a combater a depressão.

A acupuntura também se mostrou um grande aliado no combate à enxaqueca. Um grupo de cientistas de três centros de pesquisa da China percebeu grandes melhoras em relação ao desconforto causado pela doença e efeitos de prevenção de novos surtos de dores, provando que o método tem efeitos fisiológicos no organismo.

No ocidente, os estudos também apresentam resultados positivos. Uma revisão científica feita por pesquisadores ingleses, da Keele University, em relação a tratamentos eficazes contra hérnia de disco indicou que a acupuntura e a massagem são seguras e efetivas, assim como a manipulação espinal e os remédios convencionais.
Música
A música pode ajudar no tratamento de algumas doenças, principalmente as neurológicas. Um grupo da Universidade de Heidelberg, na Alemanha, percebeu que a aplicação da música pode afetar as pessoas sob vários aspectos, principalmente os pacientes com graves problemas de saúde mental. Um artigo que saiu no começo do ano na publicação J Music Ther, mostrou dados significativos de melhora na qualidade de vida desse tipo de paciente, embora os sintomas das doenças não tenham sido alterados.

Segundo um trabalho feito no Hospital Universitário de Montpellier, na França, a musicoterapia tem um impacto positivo entre pessoas com Mal de Alzheimer. De acordo com o estudo, a música ajuda a preservar, ou amenizar, diversas alterações causadas pela doença: sensoriais, cognitivas, emocionais, comportamentais e sociais. Músicas instrumentais, como clássica, jazz e world music, foram usadas para estimular os pacientes a recordar histórias e imagens do passado.

A eficiência do tratamento pode ser medida por meio dos depoimentos de pacientes que se encontram nos primeiros estágios da doença. Depois das sessões, todos eles expressaram sensação de bem-estar e prazer, dizendo coisas como "Eu não sabia que a música poderia ter esse tipo de impacto sobre mim" ou "Essa música me lembra minha infância". O nível de ansiedade, assim como de depressão, caiu de forma significativa. Um estudo da Universidade de Innsbruck, na Áustria, diz que a música provoca mudanças fisiológicas nas pessoas. Ela ativa partes do cérebro, principalmente o córtex temporal e frontal, tálamo e cerebelo, essenciais para a percepção do ritmo, melodia e harmonia.
Massagem
No Brasil, o massoterapeuta já é uma classe profissional, ainda que muitos médicos torçam o nariz para ela. A massagem pode não curar doenças em fases agudas, mas ajuda a melhorar vários sintomas e a prevenir recaídas. Em mulheres com câncer de mama, provou ser um importante fator para queda do nível de estresse, segundo estudo da Universidade de Göteborg, da Suécia. Uma leve massagem sobre o corpo diminui a pressão sanguínea, a frequência cardíaca e a morte das células NK (um tipo de linfócito, que trabalha para a proteção do organismo) durante a radioterapia. Os efeitos, no entanto, são de curto prazo. Outro estudo, de pesquisadores de Kansas, mostrou que, depois de três semanas massagem, mulheres com câncer de mama tiveram uma melhora em sua qualidade de vida – como diminuição da ansiedade e da dor e melhor qualidade do sono.

Uma pesquisa da Universidade do Colorado com 380 pacientes de câncer em estágio avançado, que sentiam muitas dores, mostrou que a massagem aplicada por um especialista ajuda a diminuir a dor e a depressão. Para esse tipo de paciente, qualquer alívio significa muito. Segundo o Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos, de 15 a 25% dos pacientes com a doença ficam deprimidos em algum momento do tratamento – muitas vezes, as relações pessoais acabam se limitando aos contatos com médicos e enfermeiros. A massagem também pode ajudar mães a lidarem com seus filhos: bebês e crianças que recebem massagem tendem a chorar menos, ficam mais relaxados e interagem melhor com suas mães.

Um estudo com neurocirurgiões do Hospital da Criança de Seattle, nos Estados Unidos, revelou que 75% de seus pacientes seguiam, além do tratamento convencional, práticas como acupuntura, fitoterapia, massagem, ioga e orações. O estudo mostrou também que 63% dos médicos consideram tais práticas tão importantes que recomendam que elas façam parte do tratamento mesmo em casos de neurocirurgia.

Fonte:http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI77107-15210,00.html

Onde a biodiversidade está mais ameaçada no planeta?

Reações: 
Nenhum comentário: Links para esta postagem


por Paulo Gama

Considerando a porcentagem de vegetação original destruída, a bacia do mar Mediterrâneo é a região mais agonizante do planeta: apenas 4,7% da área original segue intacta e 32 espécies de animais endêmicas (que só existem no próprio lugar) estão ameaçadas de extinção. Mas neste ranking ingrato há outras nove regiões com mais de 90% do território original destruído (veja o mapa ao lado). Elas fazem parte de uma lista de 34 regiões definidas por organizações ambientais como as mais importantes para a conservação da biodiversidade mundial. São os hotspots: locais que possuem ao menos 1 500 espécies de plantas endêmicas e já perderam 70% ou mais de suas áreas originais. Juntas, as 34 regiões ocupam menos de 3% da superfície do planeta, mas concentram 50% de todas as espécies vegetais e 42% de todos os vertebrados da Terra. "Você acaba com a força de evolução do planeta quando interrompe de maneira tão abrupta a existência dessas regiões riquíssimas", afirma a bióloga Monica Fonseca, da ONG Conservation International do Brasil. Duas dessas regiões estão no Brasil: a mata Atlântica, com 8% da cobertura original, e o cerrado, com 20%.

Os 10 pontos mais críticos
Nestas regiões pelo menos 90% da cobertura original já foi destruída
Caribe

Concentra diversos ecossistemas, como florestas tropicais e regiões semi-áridas

Extensão original - 229 549 km2

Extensão atual - 22 955 km2 (10% da cobertura original)

Espécies endêmicas ameaçadas - 209

Principal ameaça - Desmatamento para agricultura e inserção de espécies estrangeiras

Bacia do Mediterrâneo

Originalmente, apresentava uma flora quatro vezes maior do que a de todo o resto do continente europeu

Extensão original - 2 085 292 km2

Extensão atual - 98 009 km2 (4,7% da cobertura original)

Espécies endêmicas ameaçadas - 34

Principal ameaça - Ocupação humana

Mata AtlÂntica

A floresta tropical que cobre grande parte da costa brasileira atinge também o território de nossos vizinhos Uruguai, Paraguai e Argentina

Extensão original - 1 233 875 km2

Extensão atual - 99 944 km2 (8,1% da cobertura original)

Espécies endêmicas ameaçadas - 90

Principal ameaça - Ocupação humana

Chifre da África

Região árida, é o habitat da maioria das espécies de antílopes do mundo

Extensão original - 1 659 363 km2

Extensão atual - 82 968 km2 (5% da cobertura original)

Espécies endêmicas ameaçadas - 18

Principal ameaça - Desmatamento para pastagem e extração mineral

Montanhas do sudOeste chinês

Habitat original de uma das mais ricas faunas de clima temperado, a região tem altitudes que podem chegar a 7558 metros

Extensão original - 262 446 km2

Extensão atual - 20 996 km2 (8% da cobertura original)

Espécies endêmicas ameaçadas - 8

Principal ameaça - Caça, extração de madeira e queimadas para a criação de pastos

Florestas da costa leste africana

Concentra florestas secas e úmidas, que abrigam uma grande variedade de primatas

Extensão original - 291 250 km2

Extensão atual - 29 125 km2 (10% da cobertura original)

Espécies endêmicas ameaçadas - 12

Principal ameaça - Desmatamento para agricultura

Filipinas

As mais de 7 mil ilhas que compõem o arquipélago eram cobertas originalmente por extensas florestas tropicais

Extensão original - 297 179 km2

Extensão atual - 20 803 km2 (7% da cobertura original)

Espécies endêmicas ameaçadas - 151

Principal ameaça - Extração de madeira

Indochina

Coberta principalmente pelas florestas tropicais do Sudeste Asiático. Apesar da devastação, nos últimos 12 anos foram descobertas seis novas espécies de mamíferos

Extensão original - 2 373 057 km2

Extensão atual - 118 653 km2 (5% da cobertura original)

Espécies endêmicas ameaçadas - 78

Principal ameaça - Desmatamento para agricultura e extração madeira

Madagascar

A ilha africana tem grande diversidade de ecossistemas, como florestas tropicais e secas e um deserto

Extensão original - 600 461 km2

Extensão atual - 60 046 km2 (10% da cobertura original)

Espécies endêmicas ameaçadas - 169

Principal ameaça - Erosão gerada pelo desmatamento

Sundaland

A região, que cobre a Indonésia, a Malásia e outras ilhas do arquipélago do Sudeste Asiático, é dominada pelas florestas tropicais

Extensão original - 1 501 063 km2

Extensão atual - 100 571 km2 (6,7% da cobertura original)

Espécies endêmicas ameaçadas - 162

Principal ameaça - Extração de madeira

FONTE:
http://mundoestranho.abril.com.br/ambiente/pergunta_287728.shtml


http://www.jornallivre.com.br/images_enviadas/globalizacao-e-o-meio-ambiente.jpg

Sem saco para embalagem

Reações: 
Nenhum comentário: Links para esta postagem


Por Marcia Bindo

Ao voltar das compras do mercado, repare na quantidade de lixo que você gera ao retirar tudo das embalagens para guardar a comida no armário. É muita caixa, pacote, saco plástico, tudo vazio, jogado fora. Foi assim que, ao chegar em casa com as compras, a inglesa Catherine Conway teve uma ideia bem sacada enquanto retirava o arroz da embalagem: uma loja que vendesse tudo a granel. Nada de pacotes. Abriu então a Unpackaged, em Londres (http://beunpackaged.com ). O lugar parece um armazém de bairro, daqueles do início do século passado. Os clientes levam suas embalagens de casa e colocam os alimentos ali dentro. Quem se esquecer – ou não tiver um contêiner adequado – pode levar a embalagem emprestada da loja, com o compromisso de devolvê-la depois. Só que daí a conta fica um pouco mais cara. “Funciona melhor se as pessoas descobrirem que podem economizar reaproveitando embalagens”, diz Catherine, que também se preocupa com a qualidade do que vende: só comida orgânica, fresquinha, que faz um bem danado. Para você e para o mundo.

Fonte:http://vidasimples.abril.uol.com.br/edicoes/080/mente_aberta/conteudo_470648.shtml

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Dia do Santo Anjo da Guarda de Portugal

Reações: 
Nenhum comentário: Links para esta postagem



Oração do Anjo de Portugal

Santíssima Trindade, Pai, Filho, Espírito Santo, eu Vos adoro profundamente e Vos ofereço o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo presente em todos os sacrários da terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido. E pelos méritos infinitos do seu Santíssimo Coração e pela intercessão do Imaculado Coração de Maria, peço-Vos a conversão dos pobres pecadores.
Meu Deus, eu creio, adoro, espero e amo-Vos. Peço-Vos perdão por todos aqueles que não crêem, não adoram, não esperam e não Vos amam. (3x)

O maravilhoso encontro com a Mãe de Deus não fora a primeira visita que os três pastorinhos receberam do Céu. A fim de prepará-los para aceitar e divulgar a Mensagem de Fátima, a Providência Divina lhes enviara no ano anterior o Anjo de Portugal, para manifestar os desígnios de misericórdia de Jesus e Maria sobre eles.

Foi quando se abrigavam de uma chuva fina na Loca do Cabeço, pequena gruta situada numa propriedade do padrinho de Lúcia, que o Anjo lhes apareceu claramente pela primeira vez. À medida que ele se aproximava, os meninos iam distinguindo sua fisionomia: era a de um jovem de 15 anos, parecendo feito de neve, muito formoso e mais reluzente que um cristal atravessado pelos raios do sol. Surpreendidos diante de tanta beleza sobrenatural, não conseguiam pronunciar palavra.

Ao chegar junto dos pastorinhos, o mensageiro celeste lhes disse:
- Não temais, sou o Anjo da Paz. Orai comigo.

Ajoelhou-se e se curvou até tocar o chão com a fronte. Os três meninos fizeram o mesmo e repetiram as palavras que lhe ouviam pronunciar:

- Meu Deus, eu creio, adoro, espero e amo-Vos. Peço-Vos perdão para os que não crêem, não adoram, não esperam e não Vos amam.

Após ter recitado esta oração três vezes, o Anjo levantou-se e disse-lhes que rezassem sempre, porque Nosso Senhor e Nossa Senhora estavam atentos às suas orações. E desapareceu.

Algumas semanas depois, quando os pastorinhos brincavam junto ao poço no quintal da casa de Lúcia, o Anjo surpreendeu-os novamente.

- O que fazeis? - perguntou. - Rezai, rezai muito! Os Corações de Jesus e Maria têm sobre vós desígnios de misericórdia. Oferecei constantemente ao Altíssimo orações e sacrifícios, em ato de reparação pelos pecados com que Ele é ofen¬dido, e de súplica pela conversão dos pecadores. Atraí, assim, sobre a vossa Pátria a paz. Eu sou o Anjo da sua guarda, o Anjo de Portugal. Sobretudo aceitai e suportai com submissão o sofrimento que o Senhor vos enviar.
Dizendo isto, desapareceu.

Mais tarde, por volta de outubro de 1916, novamente na Loca do Cabeço, deu-se a última aparição do Anjo. Depois de terem tomado a merenda, as crianças se puseram a rezar, com o rosto em terra, repetindo a oração que dele haviam aprendido. De repente, perceberam uma luz desconhecida a brilhar sobre eles. Ergueram-se e viram o Anjo, que trazia na mão esquerda um cá­lice, sobre o qual, com a direita, segurava uma Hóstia. Desta caíam algumas gotas de Sangue dentro do cálice.

Deixando a Hóstia e o cálice suspensos no ar, o Anjo se colocou junto às crianças, curvou-se também e lhes ensinou outra oração ainda mais bela:

- Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, adoro-Vos profundamente e ofereço-Vos o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os Sacrários da Terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido. E pelos méritos infinitos do seu Santíssimo Coração e do Coração Imaculado de Maria, peço-Vos a conversão dos pobres pecadores.

Levantando-se, o Anjo tomou na mão a Hóstia e a deu a Lúcia. Francisco e Jacinta se perguntavam se receberiam também a Hóstia, pois ainda não tinham feito a Primeira Comunhão. O Anjo avançou até eles e deu-lhes a beber do cálice, dizendo:

- Tomai e bebei o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, horrivelmente ultrajado pelos homens ingratos! Reparai os seus crimes e consolai o vosso Deus.

Depois, ajoelhou-se e repetiu a mesma oração três vezes: "Santíssima Trindade...", etc. E desapareceu.

Nunca mais o veriam. Porém, haviam ficado profundamente impressionados pelas palavras dele. A partir de então, passaram a rezar mais e a fazer constantes sacrifícios em reparação a Deus e pela conversão dos pecadores.

E assim foi que suas almas inocentes, alguns meses depois, encontravam-se preparadas para o bendito e inesquecível momento em que contemplariam, na Cova da Iria, uma Senhora mais brilhante que o sol.

(Livro Jacinta e Francisco Prediletos de Maria - Monsenhor João Clá)


Fonte: http://www.arautos.org.br/view/show/222-o-anjo-de-portugal




terça-feira, 9 de junho de 2009

Está comprovado: cão faz bem ao dono

Reações: 
2 comentários: Links para esta postagem





Por Por Ayrton Mugnaini Jr.
/ Especial para o Yahoo! Brasil



O tema desta matéria me fez lembrar daquele sucesso do grande Lulu Santos: "Ela me encontrou/Eu tava por aí/Num estado emocional tão ruim/Me sentindo muito mal [...] Ela demonstrou tanto prazer/De estar em minha companhia/Eu experimentei uma sensação/Que até então não conhecia/De se querer bem/De se querer quem se tem/E ela me faz tão bem/E ela me faz tão bem/Que eu também quero/Fazer isso por ela..." De fato, é uma canção de amor. Mas, para mim, também é fato que ela serve de hino para as muitas pessoas cuja vida melhorou após adotarem um cão (ou, se for o caso, terem sido adotadas por ele).


Não faltam demonstrações do bem-estar que a convivência com pelo menos um cão faz ao ser humano - bem-estar não só emocional, mas também físico. Há poucas coisas melhores (pensando bem, há mesmo?) que chegar em casa e ser recepcionado por latidos de reconhecimento (é ótimo como cães "escutam" a presença do dono mesmo estando ele ainda do outro lado da rua), um rabo abanando, um cheiro na perna ou um pulo daqueles que fazem a glória de Dino, o cão-dinossauro dos Flintstones. Tem ainda a atenção que ele presta quando lhe contamos nossos problemas ou prazeres - todos conhecemos alguma história de amigo que nos ajudou muito a resolver algum percalço só de ouvir atentamente quando lho (gostou?) contamos, e o cão é ideal para esse papel.


Também não faltam provas cabais de tudo isso. Por exemplo, uma pesquisa científica feita na Suécia em 1991 e 1996 com exatamente 1649 crianças a partir de sete anos concluiu que as felizardas que possuíam animais de estimação desde o primeiro ano de vida estavam menos sujeitas a asma e rinite alérgica. Outro estudo similar feito nos EUA com 1246 crianças acompanhadas do nascimento aos 13 anos de idade concluiu em 2001 que "crianças morando em lares com um ou mais cães dentro de casa [ou seja, não simplesmente largados em quartinho ou quintal, mas realmente convivendo com os donos] desde o nascimento tiveram menos probabilidades de desenvolver respiração ofegante crônica do que as que não tinham cães dentro de casa" e "a exposição a cães na primeira infância pode prevenir o desenvolvimento de sintomas de asma, pelo menos em crianças de baixo risco sem histórico de asma na família". Outro estudo estadunidense, publicado em 1995, concluiu que "a posse de animais de estimação proporciona uma oportunidade de melhorar a saúde. Um bicho pode se tornar estímulo para fazer exercícios físicos, reduzir a ansiedade e proporcionar um foco externo de atenção.


Animais de estimação são também uma fonte de contato e conforto físico e podem reduzir a solidão e a depressão, além de proporcionar um estilo de vida interessante. Embora as provas disponíveis estejam longe de ser consistentes, pode-se concluir que, em alguns casos, relacionamentos de longo prazo com animais podem moderar variáveis fisiológicas primárias, particularmente pressão sanguínea." Agora veja o que é ainda mais interessante nesta pesquisa: "Os resultados se mostraram mais coerentes em estudos onde animais foram adotados pelos donos como parte do procedimento." Resumindo numa só frase: adotar é tudo de bom... e mais um pouco.

Obviamente, aqui no Brasil também temos mais demonstração dos benefícios que os cães nos proporcionam. Que o diga a jornalista e musicista Rosa Freitag, que mora em São Paulo com a filha (Melanie, dez anos), o marido (Mário Faria, músico e advogado), uma gatinha vira-lata apanhada na rua há dois meses e uma bela dupla de Golden Retrievers, Jackie e seu filho Johnny. "Mário sempre chega em casa do trabalho e fica feliz com a recepção sempre animada dos dois", conta Rosa. "Aliás, é só ficar dez minutos longe que eles recebem como se a pessoa estivesse desaparecida há dez anos..." Rosa lembra ainda dois outros grandes benefícios trazidos pela dupla: "Minha filha dorme tranquila sabendo que os dois cães estão montando guarda, e eu mesma tenho muita segurança graças à presença deles. E Melanie sempre fica me lembrando de comprar a ração e limpar a sujeira dos cães, e quando eu vou à pet shop ela sempre quer comprar um petiscos para eles." Isso mesmo: cães, além de sempre prontos a devolver o carinho e atenção que lhes damos, ajudam a desenvolver em seus donos mais jovens o já mencionado senso de responsabilidade - assunto de nossa próxima ocasião!

"Na busca da sabedoria, o primeiro estágio é calar, o segundo ouvir, o terceiro memorizar, o quarto praticar, o quinto ensinar."Rabi Salomon Ibn Gabirol (Século XI; Espanha)

postagem e comentário